UX Writing e Legal Design: qual é a relação entre esses conceitos?

O UX Writing ou Escrita UX é um tipo de redação voltada à experiência do usuário. Mas como esse conceito pode ser incorporado ao Legal Design? É isso que vamos ver no post de hoje. 

Aplicando técnicas de UX Writing aos documentos jurídicos, é possível melhorar a compreensão dos clientes sobre conceitos normalmente difíceis de entender para o público leigo. Continue lendo para saber mais sobre quais são essas técnicas e como colocá-las em prática!

O que é UX writing e qual a sua relação com a experiência do usuário?

UX Writing significa User Experience Writing, algo como escrita para a experiência do usuário, e é uma área que pode ser aplicada em qualquer meio que utilize a linguagem escrita para se comunicar com as pessoas, desde softwares, apps e sites até documentos, e-mails, mensagens de chat, entre outros. 

Assim, o foco da Escrita UX é, justamente, a experiência do usuário. Ou seja, o seu objetivo é tornar essa experiência mais fluida e satisfatória a partir de uma linguagem clara, livre de ambiguidades e que vá ao encontro do tipo de linguagem que o usuário usa em seu dia a dia, evitando termos técnicos ou difíceis. 

Mas não é apenas na experiência que o UX Writing impacta. Essa abordagem pode trazer diversos outros benefícios para as empresas, como melhora na satisfação de clientes, aumento de vendas, redução da burocracia, mais fechamentos de contrato e retenção. Tudo isso porque a comunicação entre empresa e cliente fica melhor com as técnicas de escrita voltada à experiência do usuário.

Além disso, todas as áreas podem se beneficiar dessas técnicas, inclusive, o Direito. Quer saber como? Então, continue lendo para entender. 

A linguagem de documentos jurídicos: juridiquês

Se você trabalha na área do Direito, certamente conhece o termo juridiquês. Ele é utilizado em sentido pejorativo para caracterizar uma linguagem muito específica da área, de difícil compreensão, e com uma quantidade excessiva de termos técnicos, prolixidade e palavras pouco usuais no dia a dia das pessoas.  

O juridiquês dificulta a leitura dos documentos e desvia o foco daquilo que realmente importa nos textos. Assim, os clientes podem passar muito tempo tentando entender o que está escrito apenas porque a linguagem é difícil, mesmo que a mensagem ou a informação que está sendo transmitida seja simples. 

Por isso, para tornar os textos jurídicos mais acessíveis, é preciso prestar atenção a esse aspecto para não cair na armadilha do juridiquês. O UX Writing, aliado a técnicas de Lega Design, pode ajudar muito nesse ponto. Saiba como no próximo tópico!

UX Writing e Legal Design

O Legal Design é uma abordagem baseada em princípios do Design Thinking e tem o objetivo de descomplicar os documentos jurídicos para o público leigo em linguagem jurídica. O foco dessa metodologia é, portanto, no usuário e em melhorar a experiência dele com esses documentos. 

É comum se associar a ideia de Legal Design ao Visual Law, uma abordagem que se insere na área de Legal Design e é utilizada para facilitar a compreensão do cliente em relação aos documentos jurídicos. Mas a distinção entre esses conceitos é discutível, já que o princípio do Visual Law já está presente no Legal Design. 

De qualquer modo, você já deve ter percebido o ponto em comum entre o UX Writing e o Legal Design: ambos são focados na experiência do usuário e têm o objetivo de facilitar a comunicação, tornando a linguagem mais acessível para o público. 

Assim, adotar as técnicas de redação voltada à experiência do usuário significa também aplicar o princípio do Legal Design a esses arquivos. 

Assim, o Legal Design também envolve o UX Writing, embora não se limite a ele. Afinal, é possível utilizar gráficos, tabelas e recursos visuais para tornar os documentos jurídicos mais facilmente assimiláveis. 

Há diversas vantagens em adotar essas abordagens na prática diária do Direito. Algumas delas são:

  • evitar erros de interpretação ou leituras ambíguas de um documento
  • diminuição da burocracia
  • maior rapidez no fechamento de contratos
  • experiência de leitura mais fluida e consequente aumento da satisfação do cliente

Mas como aplicar as técnicas de Escrita UX na prática para colher todos esses benefícios? É o que vamos ver a seguir, confira!

3 passos para aplicar UX writing no seu documento com Legal Design

Separamos 3 passos simples para você utilizar as técnicas de Escrita UX nos documentos e tornar a comunicação com os seus clientes muito mais fluida. 

Passo 1: Tenha clareza e objetividade 

Alguns dos pontos mais importantes para avaliar e aplicar nos seus textos jurídicos são a clareza e a objetividade. 

Há uma tendência na área do Direito de criar textos prolixos e que utilizam muitas palavras para falar algo. Assim, a leitura não flui bem e o leigo pode se perder no meio de tanto texto que, objetivamente, não diz muito e poderia ser mais resumido. 

Então, a ideia é apostar na economia de palavras, mantendo o sentido da mensagem. Com isso, os documentos se tornam mais claros e fáceis de entender para todas as partes. 

Além disso, a clareza também envolve evitar ambiguidades nos textos ou abrir margem para outras interpretações que fujam daquilo que está proposto no documento. 

Passo 2: Evite termos técnicos ou difíceis 

Já falamos como o juridiquês pode ser difícil para o público leigo. Assim, na hora de desenvolver documentos para apresentar ao cliente, evite termos técnicos ou inclua explicações simples sobre eles no texto. 

Isso ajuda o usuário a entender a mensagem e focar no que realmente importa, sem perder tempo tentando compreender conceitos muito específicos e dos quais apenas os especialistas conhecem o significado.

Passo 3: Adote a empatia 

Um dos princípios do Legal Design é se colocar no lugar do usuário para entender melhor a visão dele. Isso é a empatia e ela deve ser aplicada na hora de você desenvolver os documentos jurídicos. 

Então, durante esse processo, pense com a cabeça do usuário. Você pode, inclusive, pedir a validação de outras pessoas para garantir que a linguagem está acessível. Faça testes, apresentando alguns fragmentos de textos, colha os feedback e promova melhorias até encontrar o ponto certo para os documentos.  

Criar conexão também é importante para manter a atenção do usuário e faz parte de uma abordagem empática. Traga exemplos concretos e integrados à realidade dos clientes para que eles consigam assimilar mais rapidamente o conteúdo dos textos. 

Antecipar dúvidas dos usuários também faz parte do processo de se colocar no lugar deles na hora de escrever os documentos. Essa prática ajuda a agilizar o fechamento de contratos, uma vez que as objeções dos clientes já foram pensadas por você anteriormente. Isso significa que os próprios documentos já respondem a questões que poderiam surgir. 

Quer aprender mais sobre UX Writing aliado a Legal Design? Então, não perca mais tempo com textos complexos e que só dificultam a experiência do usuário. Inscreva-se no curso de Legal Design da Bits Academy!