Tecnologia e mercado: a transformação digital tem como base a tecnologia ou pessoas?

A relação entre a tecnologia e mercado sempre fez parte das empresas. Mas, qual é o impacto da transformação digital na rotina das pessoas? Como elas devem se atualizar para garantir bons desempenhos? Descubra neste post!

Mulher negra sorrindo, com roupas pretas, cabelo cacheado solto está sentada em uma poltrona azul trabalhando em um notebook em uma sala bem iluminada. A imagem é uma ilustração da relação entre tecnologia e mercado.

As pessoas são partes essenciais das empresas. O capital humano exige investimentos no desenvolvimento e no reconhecimento das pessoas. Hoje, isso se torna cada vez mais essencial e exigido dentro de cada organização. E uma das áreas que gera um grande impacto é justamente a interação entre tecnologia e mercado. Consequentemente, é necessário entender o que acontece com a transformação digital e a relação dos colaboradores com a tecnologia.

Muitas pessoas podem nunca ter tido acesso às ferramentas ou programas escolhidos. E isso gera dois problemas principais. O primeiro é a queda na produtividade e a necessidade de treinamentos. Muitas vezes, isso não é passado para supervisores, gerentes ou líderes.

Por que esses problemas aparecem? O que é possível fazer para solucionar esse desafio? Neste post, vamos te explicar como resolver isso e qual é a principal base da transformação digital: a tecnologia ou as pessoas.

Por que algumas empresas são afetadas e outras não?

O motivo para muitos problemas entre a tecnologia e o mercado é o modelo de gestão. O modelo de gestão perpassa por vários níveis, como:

  • escolha dos colaboradores;
  • definição do modelo de negócios a ser adotado pela empresa;
  • e até a estrutura a ser utilizada para realizar as atividades da empresa.

O problema surge quando percebe-se que o uso de determinada tecnologia está ultrapassado. Existem diversas organizações que praticam um mesmo modelo de negócios há anos. E isso se reflete na relação entre tecnologia e mercado e como os colaboradores usam softwares ou ferramentas.

Para estas empresas, é extremamente difícil mudar. A sua cultura já está arraigada e qualquer mudança parece ser um esforço impossível. Essa dificuldade chama-se inércia estrutural, quando a empresa sabe que precisa mudar, mas não faz em um tempo ideal.

Qual é a relação entre tecnologia e mercado?

Ao mesmo tempo, as empresas não são uma entidade autônoma e independente como pretendiam os advogados que inventaram a personalidade jurídica para conferir determinada independência dessas empresas dos humanos que a comandavam. Afinal, as empresas ainda são feitas de pessoas, por mais que estejamos inovando.

Isso significaria dizer que a empresa é incapaz de mudar. Mas não é isso. O que ocorre é que as pessoas que trabalham lá é que tem dificuldade de alterar a forma de pensar para que a empresa se adapte a essa nova realidade.

Essa nova realidade é a de transformação digital. Uma época de ambiguidades e indefinições por conta do momento em que nos encontramos – uma transição entre o pensamento analógico e o digital. Não entendemos as implicações que algumas de nossas ações tem em um contexto digital.

Alguns exemplos são as repercussões do vazamento de nudes, dados de empresas que trabalham com segurança digital, empresas de tecnologia cometendo erros óbvios ao utilizar de forma errônea algoritmos de inteligência artificial.

O ponto é que as pessoas estão sendo inseridas em um contexto digital sem o preparo adequado. Hoje, observa-se que a a educação foi feita de uma perspectiva lógica analógica. Isso acontece com a maioria das pessoas que estão no mercado de trabalho ou que formam a população economicamente ativa.

Exceções à regra

Logicamente, algumas pessoas fogem à regra e conseguem sair do pensamento comum ao criar inovações que resultaram exatamente nessa digitalização. No entanto, trata-se de uma exceção. Não é todo mundo que tem essa facilidade de adaptação ou entende como funciona esse movimento.

Muitas empresas utilizam bem ferramentas digitais. Porém, muitas vezes não é possível entender o contexto geral em que uma ferramenta se insere. Também não é possível compreender os impactos, recursos, como resolver determinados problemas ou criar novas soluções. Isso acontece porque as pessoas não pensam de forma digital. Portanto, não elas não conseguem usufruir plenamente das oportunidades que o mundo digital oferece.

Isso justifica o aumento nos salários dos programadores. Poucas pessoas de fato conseguem dominar a área digital. Isso significa que existe uma escassez de recursos em relação ao total de pessoas disponíveis no mercado. E essa é uma das áreas que apresenta maior crescimento.

Justamente por isso é importante que qualquer pessoa passe a dominar minimamente os conceitos digitais. Em um ambiente cada vez mais digital, é importante que as pessoas entendam a base do que é o digital. Ao pensar numa simplificação de processos e na experiência do usuário, você cria uma nova forma de passar informações ou lidar com alguns aspectos que já fazem parte da nossa rotina.

Um exemplo é a mudança que o Legal Design está fazendo para o mundo jurídico. Ao unir o Direito, o Design e o UX, você torna muito mais simples a explicação de um contrato, por exemplo. Para conhecer um pouco mais sobre essa estratégia, leia este artigo.

E você, acha que a sua empresa tem uma boa estratégia com o digital? Acredita que a sua empresa tem uma boa digitalização? Clique aqui e descubra gratuitamente como é o nível de digitalização do seu negócio.